quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

Guitarra Music Maker modelo M - um pequeno histórico

Foto tirada por Cris Jarrouge na estréia da banda SANGUE e da Music Maker modelo M, em 09 Dez 2010.

Como os visitantes deste blog sabem, desenvolvi uma guitarra junto ao luthier e amigo Ivan Freitas, da Music Maker. O modelo chama-se simplesmente “M”, inicial do meu primeiro nome.

Segue abaixo um pequeno histórico (inclusive com fotos tiradas do meu celular) de várias fases desse projeto.

Início da parceria

Tudo começou com uma participação que fiz numa festa da Music Maker no Café PiuPiu em setembro de 2010. O Ivan me ouviu dando uma canja e, depois de anos de conhecimento mútuo e algumas tentativas de fazer alguma guitarra juntos, decidimos juntar forças e, enfim, desenvolver um modelo original.

Eu nunca fui afim de ter um modelo de guitarra já consagrado, ou seja, copiar simplesmente uma strato ou tele - ou o que seja - e simplesmente colocar o meu nome na coisa, mesmo isso sendo mais “vendável”... Ao meu ver, a idéia não é essa; a idéia é fazer um bom instrumento e que seja original. Por isso, prefiro arriscar e fazer um instrumento que tenha algo novo - e, claro, com base no que dá certo, ou seja, com consciência da tradição do assunto, que é a base que o luthier que realmente faz guitarras tem, e que é justamente o caso do Ivan Freitas.

Neste ponto, eu e o Ivan concordamos desde o início. E como eu estava precisando de uma guitarra sólida pra tocar rock - estou nas bandas de sons próprios A.R.M. e SANGUE, além da Born Again (que é mais como um hobby ensurdecedor, tocando os sons do Black Sabbath) -, a aproximação com a Music Maker veio numa hora perfeita.

M model ou modelo M


O projeto começou com uma idéia que eu tive já há algum tempo de cortar a parte superior do corpo de uma telecaster, aumentando o acesso à última casa e deixando um corpo mais diferente e bonito - nunca gostei do desenho do corpo da telecaster; foi uma bela invenção, mas não me atrai esteticamente... Fiz esses cortes no programa “paint” mui toscamente sobre a foto de uma tele (foto abaixo) e mandei por email pro Ivan, só pra ele ter uma idéia aproximada do que eu queria. Ele olhou isso e disse “mas é muito feio!”, hehehe. Em seguida, começamos a pensar num corpo juntos.
Chegamos a um primeiro desenho, depois de muito rabiscar numa cartolina na Music Maker, em várias reuniões. Esse primeiro esboço é mais como uma strato com acesso total ao último traste, mas ainda não era o que queríamos – e tive sorte de tirar essa foto , já que a peça já estava sendo dispensada, como se pode reparar...
Depois de muito olhar para o desenho acima, fomos amadurecendo as idéias e acertando as proporções num novo corpo. Aí rolou o primeiro molde do que seria o corpo da modelo “M” - a assinatura foi só porque pediram pra eu assinar; frescura, entende?:
Depois de todos concordarem com os rumos do projeto, já foi cortada uma peça de mogno leve, com tampo de maple, corpo e braço colados, e o primeiro protótipo do modelo M já era uma realidade.
A seguir você já vê o corpo com as furações dos captadores e a ponte. As marcações no braço que o Ivan sugeriu foram estas ovais. Acho bonitas. Os trastes são de inox.
Preferi começar com ponte fixa, porque não teria muito sentido - pelo menos para mim - pegar uma puta peça de mogno leve e colocar uma ponte flutuante... A ponte fixa torna possível aproveitar todo som e sustain que essa construção e essas madeiras podem render. Nos modelos a ser comercializados será possível escolher entre ponte tune-o-matic, Wilkinson ou mesmo Floyd Rose. As madeiras também mudarão: corpo e braço serão de frejó e os tampos (ou "tops") vão variar de acordo com a cor. E, uma informação importante: este modelo M, número de série 001, que vocês vêem é um protótipo, aliás, o primeiro! Eu, obviamente, vou usar os modelos de linha; e se isso não fosse possível eu nem entraria nessa barca... Eis a ponte tune-o-matic:
Este é o headstock desenhado pelo Ivan. As tarrachas são com trava, da Sperzel. Os próximos modelos terão a formação 3 e 3 mesmo, e não 4 e 2, como neste primeiro protótipo.
Aqui a Music Maker modelo “M” com a primeira camada de pintura. Repare que o braço ainda estava protegido por uma fita adesiva pra rolar a pintura.
E aqui você me vê ao lado do Paulinho “Bitoka”, que foi muito importante no projeto - ele é o cara que corta as madeiras, passando o que era ideal para material -, na noite em que peguei a modelo “M” prontinha e regulada. E eu estava fazendo "mãos de fogo", repare.E aqui os pais da criança: ivan Freitas e eu! Oh, yê.
Como eu disse muito recentemente aqui, a Music Maker modelo M é muito gostosa de tocar, é uma guitarra realmente firme. Eu estou usando cordas D'Addario EXP .011 - e dando bends de até 2 1/2 tons nas cordas B e G -, mas se você quiser usar .010 ou .009, ok! É uma mera questão de ajuste.

A captação por enquanto é DiMarzio: PAF Pro no braço e Evolution na ponte.

O padrão de qualidade da Music Maker é "o bicho", como diz o Ivan. Tudo é muito bem feito, o acabamento é coisa séria, e, inclusive, as guitarras afinam mais do que as importadas. Duvidou? Faça o teste. Eu digo isso porque já fiz.

Informe-se sobre o modelo M com a Music Maker, no fone 5561-0701 e pelo email contato@musicmaker.com.br

Eis mais uma foto minha com a guitarra tirada pela amiga Liana Nakao no Festival Guitar Player de dezembro passado (clique na imagem para ver maior):Abraços!
Michel

16 comentários:

Gabi disse...

Ficou muito foda o modelo M! Puta som e design bonito, Michel! E quero testar aquele pedal da rotstage logo mais

Michel disse...

Valeu, Gabis!
Bjão e muito som!
Michel

Rafael Nery disse...

Parabéns Michel, ficou mto bom!

Michel disse...

Valeu, Rafael!
Abração e muito som também!
Michel

Marcus disse...

Mestre Leme, vc come muito amendoim com rapadura, cabra? Que isso, bend de 2 e 1/2 com 011, vc devia ser montanhista eheheh. A escala é padrão de 25,5"? Parabéns pelo belo intrumento, se eu tivesse cacife de um dia fazer uma signature iria por essa mesma linha de tentar fazer algo diferente - e não apenas uma superstrato com pickguard verde-musgo e marcações em formato de caranguejo. Achei ela um pouco parecida com o modelo Holdsworth (a DeLap, não a Carvin). Gde abs do Vinnas de Aracaju.

Michel disse...

Valeu, Vinnas!

A medida escala é a mesma da Gibson, acho mais confortável. E, de fato, o corpo da "M" lembra vários modelos, mas não é exatamente nenhum. Acho que conseguimos algo muito interessante nesse aspecto.

Abração e muito som,
Michel

joaquim.aleixo disse...

Oi Michel, sou o Joaquim que te enviou umas fotos da guitarra acustica de 7 cordas que fiz com meu luthier, a "MODINA" vc se lembra? Pois é fiquei super feliz por vc e acredito que esta deveria ser a atitude de todo musico brasileiro, temos que valorizar os profissionais de lutheria que temos aqui no Brasil, e é claro valorizar nossos sonhos. Parabéns. E aquele DVD seu que vc me falou é pra quando?

Michel disse...

Obrigado, Joaquim.

Tem dois DVDs na agulha, ainda precisamos acertar detalhes, assim que tiver novidades, darei um toque.

Abraço!
Michel

thi disse...

Fala Michel, beleza?
Bela guita mano! Quando é que você mais mostrar o que ela faz lá no Heron? A Z/S está sentindo a sua falta!
Abraço,
Thiago

Michel disse...

Obrigado, Thiago.
Espero voltar em breve pra luthieria do Heron, quero fazer som. Estou aguardando a data.
Avisarei aqui no blog.
Abração!
Michel

nino disse...

FERNANDO QUE CAPTAÇAO E ESSA SEM NOSSÃO,,, PUTA JOGADA DE MARKENTING ,,,O CARA TOCA JAZZ ,,, COM UMA GUITARRA DESSA ,,, TODO MUNDO TEM SEU PREÇO,,,QUEM TEM ROMANTISMO COM A MUSICA E UM BURRO MESMO,,,

Michel disse...

Bem, Nino (não sei se seu real nome é esse e também não sei quem é o tal "Fernando"...),

Temos aqui um exemplo de alguém mal-informado e que talvez esteja muito afim de aparecer, ou mesmo afim de descontar problemas de quaisquer naturezas em alguém de forma aleatória e sem medir o que fala, apenas disparando a sua metralhadora cheia de achismos, mas sem posse de quaisquer dados concretos ou provas que poderiam dar qualquer credibilidade ao que publica.

Em primeiro lugar, essa guitarra modelo M da Music Maker foi feita porque eu precisava de uma guitarra sólida para tocar com as bandas A.R.M (desde 2008), SANGUE (desde março de 2010) e Born Again (desde outubro de 2005), que são bandas de rock aqui de São Paulo das quais eu faço parte desde as datas entre parêntesis. Então, repare bem que existe uma razão concreta para a existência desta guitarra, fato que por si só já derruba seus frágeis e infelizes argumentos.

Em segundo lugar, e esta parte é para você refletir, quando você diz "todo mundo tem seu preço" e "quem tem romantismo com a música é um burro mesmo", você, por não procurar antes saber do que te informo no parágrafo acima, cometeu o erro de julgar e condenar, colocando-me no rol de "vendidos" que usam qualquer porcaria em troco de grana ou exposição. Pois bem, saiba, então, que não é todo mundo que age conforme essa cartilha meramente mercantil e saiba que ainda existem artistas que não se vendem - são poucos, mas ainda existem. Estas generalizações, então, só atestam a superficialidade do seu discurso.

Talvez seja melhor você aproveitar o seu tempo fazendo algo construtivo ao invés de desempenhar o papel de mero agitador, lançando afirmativas levianas publicamente sem provas - e, vale comentar, sem colocar sua foto no seu perfil, além de não informar o seu nome completo, ou seja, sem assinar embaixo do que diz, como fazem os homens adultos.

Além disso, você mal conhece o meu trabalho, mal sabe onde eu toco e mal sabe do que faço de fato em relação à música na minha luta diária. Se soubesse de qualquer uma destas coisas de verdade e se fosse me ouvir tocar onde toco e, ainda, se fosse ouvir a música que acontece como alguém realmente preocupado com a ética no ramo musical deveria fazer, provavelmente pensaria muitas vezes antes de acusar-me de vendido.

Mas meu intuito aqui não é defender-me, apenas quero mostrar que sua acusação é frágil, infeliz e caluniosa.

Então, se foi seu intento, considere-se satisfeito por aparecer neste espaço (mesmo que fazendo o papel que fez), e, o que considero realmente construtivo, considere-se informado e aproveite pra aprender um pouco com tudo isto.

Se quiser criticar quem quer que seja, investigue antes pra ter base; não faça como aqueles que se encaixam no termo que você mesmo usou, os "burros".

Tenha uma boa vida.
Sem mais,
Michel Leme

preto disse...

Bela guitarra Michel!!
Parabéns pelo projeto.

Michel disse...

Obrigado!
Abraço,
Michel

Diego disse...

Muito foda essa guitarra! parabéns! Aliás, entrei no site da Music Maker e só tem guita foda!

Leo Fontana disse...

Michel, muito fera a guitarra. A primeira vez que o vi tocando com ela foi com o Born Again no Manifesto e pirei no som dela e design (que foi o que mais me chamou atenção) quando cheguei em casa fiquei pensando de qual marca era e a primeira que me veio a cabeça foi PRS pelo design... alguns meses depois eu estava pesquisando uma fender para comprar e meu mestre me deu umas dicas de onde ele fez a dele e quando entro no site da Music Maker, esta la sua guitarra ANIMAL!!!! mandei fazer uma tbm e digo mais: o teste da afinação deu certo (ela não desafina nadaaaaaaa) e a construção foi perfeita. Parabéns pelo projeto que ficou animal e abraços!!!