sexta-feira, 9 de janeiro de 2009

VIII° Festival Guitar Player/ IG&T (versão de quem tocou)


No dia 13 de Dezembro passado toquei no Festival Guitar Player/IG&T em sua oitava edição.

Desta vez, levei meus amigos da Reteté Big Band como convidados especiais - a cada ano gosto de levar um som diferente, acho mais interessante, musical e estimulante pra todos.

A Reteté (termo que quer dizer Alegria) é uma big band idealizada pelo Paulinho Malheiros (trombone e arranjos), Paulinho Vicente (bateria), Thiago Alves (baixo) e Josué dos Santos (sax). Eles tocam adaptações de hinos cristãos e standarts em arranjos inéditos e o som é realmente "na pressão", além de ter solistas muito bons. Como tocamos no meio do ano no programa Michel Leme & Convidados na Tv Cia da Música e foi um tremendo prazer, achei uma conseqüência natural levá-los para esta edição do Festival. Em razão da música e pelo desafio de levar uma big band para um evento óbvia e predominantemente "guitarrístico".

Mas tudo deu certo e, com o apoio importantíssimo da Rotstage Tech, D'Addario e Nux, conseguimos participar do evento. E valeu muito, muito.


A apresentação teve que começar um pouco antes por conta de um adiantamento que ocorreu na agenda - imprevistos de última hora... Em vista disso, comecei o show em trio com o Thiago Alves e o Paulinho Vicente. Tocamos "Serpenth's Tooth", um tema sobre 'rhythm changes' de autoria de Miles Davis. Em seguida, como a banda ainda não havia chegado em sua formação completa, seguimos a apresentação com "St. Thomas" de Sonny Rollins, desta vez em quinteto, com Josué dos Santos e Jorge Neto (trombone).

Depois das duas músicas de introdução, divertidas e intensas, todos da banda já haviam chegado e sentado em seus lugares - num praticável especialmente preparado pelo Tomi, André,Thiago e equipe, que fazem o som e a correria na EM&T nesses eventos; amigos queridos, que sempre merecem meus mais respeitosos agradecimentos.

A apresentação com a big band teve 04 músicas: 500 Miles High (de Chick Corea, com arranjo de Evaldo Soares), Cha-Cha Malícia (de minha autoria), Graças Dou (tradicional) e Vai Moisés - estas três últimas com arranjos do Paulinho Malheiros.

Todos tocaram muito bem, climas maravilhosos rolaram e, enfim, foi uma tarde iluminada.


Que venham mais eventos como esse! O Brasil precisa.

Confira a cobertura mais completa do evento, com as resenhas de todos os shows, na revista Guitar Player desse mês - com o Richie Blackmore na capa.

Abraços a todos,
Michel

* Fotos de Vanessa Saad.

Um comentário:

mariana fonseca disse...

Oi Michel te achei por aqui também.

Agora é pra ter certeza que manteremos contato.

Um abraço e um ano cheio de som pra ti!

Espero que ano que vem não chova tanto em Curitiba! Bah!!! hehe