domingo, 28 de setembro de 2008

Feira da Música 2008

Nesta edição da Feira da Música toquei de sexta a domingo. Alguns horários mudaram em relação à agenda prevista no meu site, então segue uma gradinha com os horários e os amigos com os quais toquei:

Sexta-feira, 26/09

16h- apresentação solo na Deval, pedais Nux!;
18h- Umdoistrio no auditório da Sonotech (eu, Thiago Espírito Santo e Cuca Teixeira);
19h- duo com Carlinhos Noronha na Musical Express, cordas D'Addario.

Sábado, 27/09

19h- duo com Arismar do Espírito Santo na Musical Express, cordas D'Addario;
20h- duo com Thiago Alves na Deval, pedais Nux - com canja do Arismar do Espírito Santo.

Domingo, 28/09

(dia que não estava programado: recebi um telefonema pra tocar com o Cuca Teixeira e dirigi-me mais uma vez ao Expo Center Norte, com todo prazer)

16h- Umdoistrio no auditório da Sonotech (eu, Thiago Espírito Santo e Cuca Teixeira);
17h30min- duo com Fábio Zaganin na Musical Express, cordas D'Addario;
18h- canja na Orion com o Porpeta (bateria), Rubem (baixo) e Paulinho (voz e bateria).

Quanto à organização da Feira, principalmente no que diz respeito à acústica, apenas lamento. Não sei das 'internas', mas o que chegou a mim foi que rolou uma mudança na regra do jogo com o jogo já acontecendo... E o mais patético são aqueles fiscais que vêm medir os decibéis quando você está tocando na frente de um stand com um amplificador de 15W, e ainda exigem que você diminua o volume; enquanto isso, outros stands, que emitem uma puta barulheira ridícula com graves insuportáveis, não são incomodados... Estranho, não é?

Sinceramente, espero que haja mais consciência por parte dos organizadores desse evento que, por respeito ao enorme público que recebe e pela quantidade de grana que movimenta, teria e tem a obrigação de ser bem melhor.

Voltando à música...

Foi um enorme prazer tocar com meu amigo Carlinhos Noronha na sexta-feira, na Musical/D'Addario. Conheço-o desde a época em que dava aulas na Galeria do Rock (há uns 18 anos), e o Carlinhos quebrou tudo no baixo! Foi muito legal mesmo, espero que toquemos de novo em breve, Charles.

Em relação às duas apresentações que fiz junto ao Umdoistrio - eu, Thiago e Cuca -, convidado pelo Cuca no stand da Sonotech, tenho a dizer que tiveram momentos maravilhosos. Uma baita energia rolou ali e fiquei muito contente por ver tanta gente lotando o espaço pra ouvir o som. Tocamos "Pinocchio" (Wayne Shorter), "Bom Dia" (Michel Leme) e "Mr. Clean" (Freddie Hubbard) na sexta; no domingo, tocamos "Samba do Bem" (Michel Leme), "Prince of Darkness" (Wayne Shorter) e "Eighy One" (Ron Carter).

No duo que fiz com o Thiago Alves (baixo) na Deval/Nux!, tocamos "Merengue Maneiro" (Michel Leme), alguns standarts como "All the Things You Are" e "Emily" e, quando entrou o Arismar no som, tocamos "Vestido Longo" (Arismar do Espírito Santo) e "Cha-Cha Malícia" (Michel Leme). Foi muito divertido, muitos climas maravilhosos.

Com o amigo Fábio Zaganin, no domingo, na Musical/D'Addario, rolaram uns blues e uma versão de "Purple Haze" (Jimi Hendrix). Mui divertido, liguei até la distorción!

A canja na Orion aconteceu porque passei no stand pra dar um oi pros amigos Flavio Tsutsumi, Tati Melo e Laura. Aí o Flavio Silva (guitarra) me chamou pra tocar. Foi bem energético e divertido.

Quero mandar um abração a todos os amigos músicos, pessoas que tiraram fotos comigo e pessoas que me pediram palhetas e não levaram - a estas eu peço mil desculpas: é que eu às vezes não as encontro nos bolsos, e às vezes só tenho uma! É verdade...

Até os próximos sons!
Michel

2 comentários:

krâo disse...

Caramba Michel, quer dizer que, pra variar, teve falta de organização?? esse é o respeito que os eventos tem com os músicos em nosso país. Eu tmb fui vítima disso no sábado a noite, pois ia tocar em um evento da prefeitura, e por falta de ordem resolvi nem dar as caras. Mas como somos músicos de alma, tiramos isso de letra não é??? Abraço!

Michel disse...

Pois é, Daniel.
Os caras querem grana da maneira mais rápida, pra ontem! Simplesmente não enxergam na frente. Esse imediatismo faz com que o Brasil atrase, e muito.
Abraço e muito som,
Michel